domingo, 18 de setembro de 2016

Saudades

Há dias em que sinto uma saudade daquelas deste meu cantinho. De dizer meia dúzia de disparates ou de deixar registado algo que me posso vir a esquecer. 
Há dias em que quero muito voltar, mas depois penso se isto continuará a fazer sentido e se o instagram chegará para o que quero registar. 
Não sei, mas há dias em que só gostava que os blogs voltassem a ser apenas isso: blogs, e não páginas cheias de publicidade e produções fotográficas xpto. 

sábado, 18 de junho de 2016

Até um dia destes

Acho que é percetível que este blog está votado ao abandono à algum tempo. Não porque tenha deixado de gostar deste espaço, mas porque nem sempre temos coisas para escrever. 
Por outro lado, a blogosfera já não é como a conheci e sinto falta dos blogs que já não existem e que me acompanhavam desde o início. 
Este mundo é agora menos natural e apesar de seguir um ou outro que gosto muito, a verdade é que são muito poucos os que me prendem.
Não é um adeus, pode ser um até já porque esta porta está sempre aberta. 

terça-feira, 10 de maio de 2016

Helppppp!!!!

Está a revelar-se tarefa impossível marcar um fim de semana com os amigos no gerês. Eu sei que somos muitos, mas está tudo completamente esgotado no fim de semana que podemos ir (é em agosto, isso também não facilita). 
Posto isto, mais sítios porreiros onde se possa ir com os amigos passar um fim de semana? Preferencialmente um sítio que possa alojar 16/18 pessoas? 

segunda-feira, 25 de abril de 2016

O bichinho continua cá :)

No sábado perdi a cabeça e depois de me ter rebentado toda fui à aula de cycle. Depois de seguramente uns seis meses sem encaixar as sapatilhas na bike fui-lhes tirar o pó. E soube tão, mas tão bem... Meia enferrujada é certo, sem a carga que fazia anteriormente mas em paz comigo, sem pensar no resto do mundo. E aos primeiros acordes desta música acho que os meus olhos sorriram e fiquei tão mas tão contente por poder pedalar outra vez ao som disto. Não tendo sido propositado foi espetacular voltar e sentir a dorzinha no final. Tenho mesmo, mesmo que regressar. 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

From Paris with love







As fotos dispensam legendas porque toda a gente sabe o que é. O que posso dizer sobre Paris? Gostei... não fiquei apaixonada mas gostei. Apanhei ainda mais frio do que em Madrid o que não julgava possível, achei notre dame e a sacre couer bem mais bonitas do que a torre eiffel. Tirando isto é gente e mais gente e mais gente por todo o lado, turistas que não acabam, filas para tudo o que é monumento. Digamos que em 3 dias o que nós vimos foi assim em modo corrido mas foi bom na mesma. O pior mesmo foi o voo de regresso porque eu que detesto voar tive o azar de apanhar uma turbulência sem fim. Um horror. 
Posto isto, venha a próxima (não estou a contar com as férias). Eu gostava tanto, tanto que fosse Londres. Nunca lá fui mas acho que é A minha cidade. 

terça-feira, 19 de abril de 2016

New in my closet...

Eu, que nunca fui de brilhos e coisas do género ando a perder a cabeça e esta t-shirt mora agora no meu armário. Daqui.

sábado, 16 de abril de 2016

We'll always have Paris

Neste momento e se tudo estiver a correr como o planeado estou mais uma vez a vencer o pânico de me enfiar numa lata com asas e estou a caminho de Paris. Sem grandes expectativas do que será mas entusiasmada por acrescentar mais uma cidade à minha curta lista. 
Prometo divertir-me e ser muito, muito feliz. 

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Mais vale tarde do que nunca

E eu vi finalmente a teoria do tudo. O que tenho a dizer? Já tudo foi dito mas é um filme do caraças e o Eddie Redmayne está assim qualquer coisa de muito, mas muito bom. Adorei, adorei mesmo. 

terça-feira, 12 de abril de 2016

Ainda do fim de semana

Tive um daqueles como á muito tempo não tinha: boas pessoas, boa comida, não tão boa música mas ainda assim muito bom. 
Mas fica a certeza, já não posso deitar-me às 6h e acordar às 10h a fingir que não se passou nada. Passei o domingo a "dormir" em pé, com a certeza que devia umas horas valentes à cama, o que fez com que no domingo à noite aterrasse quando ainda nem eram 22h. 
Mas foi bom, muito bom, ri muito, espaireci, esqueci o trabalho por umas horas valentes e pude lembrar-me como é sair. A repetir.  

segunda-feira, 11 de abril de 2016

E não percebo qual é o espanto!

Juro que não entendo como é que algumas pessoas ficam espantadíssimas quando digo que me divirto imenso a ler. "Ah, mas ler, que coisa tão chata". Chata? Se calhar para mim ir sair para um sítio cheio de fumo e barulho até às 5h da manhã também é chato. Tudo depende da perspetiva, São gostos pessoas! (e ainda bem que somos todos diferentes senão isto não tinha piada nenhuma)